Maravilhas de Londres

Peço desculpa por ter estado tanto tempo sem escrever mesmo que haja mais motivos para pedir desculpa por ter voltado a escrever. Já lá vão quase dois meses desde o último artigo e tenho muitas saudades de fazer posts no blog. A verdade é que não tem sido fácil escrever frequentemente como antes, desde que mudei para Londres. Há muita coisa para ver aqui em Londres e por isso decidi falar de algumas coisas que me têm impressionado bastante pelas ruas desta bela cidade. Não, não vamos falar de arquitectura e museus. Isto vai ser mais à base de fotografias parvas e sobrancelhas.

Primeiro, vamos a um curto estudo de estatística que eu fiz. Visto que trabalho junto a alguns monumentos,  a minha hora de almoço torna-se sempre bastante interessante. Não tanto pelos monumentos em si, visto que rapidamente nos habituamos a eles, mas pelo que acontece à sua volta. Todos os dias há milhares de pessoas ao seu redor a tirar fotografias. Dessas, 90 % são selfies. 97% dessas selfies são pessoas que andaram cerca de 50 metros com os braços esticados para a frente e com o telemóvel a apontar para elas próprias, com o intuito de encontrar o melhor sítio para carregar no botão e registar aquele momento. Muitas vezes, vê-se uma multidão de braços esticados para a frente, quais zombies, a segurar o telemóvel a apontar para elas próprias. Estas pessoas têm uma habilidade muito peculiar de parar no meio do passeio e virarem-se muito depressa com os braços esticados, o que normalmente resulta em chapadas gratuitas com as costas da mão noutros praticantes do ‘selfismo’. E uma vez por outra, também em pessoas normais que vão a passar.

Tourists taking selfies with the help of a selfie stick by the Tower of London, South Bank, UK. Image shot 2014. Exact date unknown.

Outro dado importante que registei é que cerca de 60% dessas selfies possuem sorrisos forjados e que derivam muitas vezes de uma discussão. Ora é sobre o ângulo que a câmara deveria apanhar ou porque a pessoa não está perfeitamente alinhada com a câmara ou porque são um casal que já tirou a foto 6 vezes e a rapariga continua feia. Bem, nenhuma máquina faz milagres por essas meninas, e temo que alguns membros do sexo masculino, às vezes digam mesmo isso, tal não é a discussão. Há também uma percentagem de cerca de 20% que tira fotos a fazer poses criativas, que são aquelas que toda a gente faz no mesmo sítio (anulando o nome ‘pose criativa’). Ou empurram a Tower Bridge, ou tentam picar-se no dedo com o arranha-céus The Shard… Tantas são as opções, mas tanta gente já as descobriu. Cerca de 5% das pessoas pede a outras pessoas que lhes tirem fotografias. Normalmente é lhes perguntado de volta como é que a máquina funciona sem selfie stick e gera-se uma discussão, nomeadamente sobre onde é que o stick deveria estar ou não enfiado. Outro dado curioso, é que nenhuma das minhas percentagens bate certo no fim. Um último facto curioso: os chineses pelam-se para tirar fotos de casamento com a Tower Bridge de fundo. Eh pá, o que eu já vi de chinesas em vestido de noiva com os ombros de fora ao frio!

Mudando de assunto, vamos a curtas mas certeiras observações:

Há sítios aqui onde se anda quilómetros sem se avistar um único caixote do lixo. Quando se vê um, é provável que já esteja demasiado cheio. Muitas vezes, demasiado cheio de esquilos.

As miúdas aqui rapam as sobrancelhas para depois as desenharem outra vez. Normalmente desenham sempre o estado ‘desconfiada’ ou o ‘só tenho marcadores grossos em casa’. Também há muitas que fazem lembrar o Becas da Rua Sésamo.

becas eyebrows

Apesar de se falar muito sobre poluição, não é o cheiro a fumos de escape dos veículos que mais é notório. É mais frequente nas ruas o cheiro a erva.

Aqui não funciona o truque “Vou àquele café comprar uma água para poder ir à casa-de-banho”.  Em 90% dos sítios, não há WC. E também não se vende água.

A malta aqui faz o melhor e mais complexo capuccino do mundo. Qualidade de 5 estrelas. Mas depois não conseguem tirar uma bica decente. Faltaram àquela aula onde se aprendia a usar só um utensílio para fazer só uma coisa.

Bem, este foi o texto possível para hoje. O blog vai voltar à actividade frequente que era habitual, mas de forma gradual. É por isso que o texto de hoje não é propriamente engraçado, mas sim, só parvo. Contem com melhorias nas próximas semanas. Não que se vá tornar mais engraçado, mas a qualidade de parvoíce de certeza que vai melhorar.

 

Anúncios

One comment

Partilhar o que vai no fundo da alma

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s